A GAZETA DE ALGOL

"O morto do necrotério Guaron ressuscitou! Que medo!"

Ferramentas do usuário

Ferramentas do site


fanworks:teorias:teoria_brasileira_003

Os motivos de Odin

Autor: Mr Dark Falz

Coitado do Odin, tão forte mas sem passado…

Não é bem uma teoria, mas sim um conjunto de teses…

Essa foi a minha teoria mais trabalhosa, eu tive que pesquisar muito para fazê-la, mas consegui. Primeiro, vamos nos embasar em quatro itens:

  1. Odin é nativo de Scion
  2. Tem linhagem guerreira
  3. Motivo forte para sair em busca de vingança
  4. Contatos Fora de Scion, inclusive com príncipe Nero, faz dele uma pessoa importante.

Agora, vamos explicar cada um e depois elaborar a teoria.

  1. Scion é a cidade em que as pessoas tem mais informações sobre Odin. As pessoas teriam que ter um contato com ele, já que isso leva a intuir que ele morava em Scion. Logo, a família de Odin é scioniana.
  2. Quanto a linhagem guerreira (essa é uma tese BEEEM forçadinha…), Odin é um nome que só guerreiros natos possuem, por dois motivos:
    1. Na mitologia nórdica, Odin é filho de Thor, o Deus supremo. Isso é um dos traços terráqueos em Algol (outro deles seria o cristianismo presente no início da saga)
    2. Isso não é muito sério: eu andei lendo umas suposições que quase todos os nomes traduzidos para o inglês envolvem anagramas (anagrama é um “jogo” de formar palavras diferentes a partir das letras de uma palavra primária). Odin seria um anagrama para Dino, palavra proveniente dos Dinossauros (Dino=lagarto Sauro=assustador), que por sua vez seria um descentente do Dragão, símbolo de força e poder no Japão.
  3. Provavelmente foi a morte de algum parente que o levou a esta aventura. Isso é deduzido, porque ele não tina prática nenhuma e logo foi procurar o machado laconiano, movido pelos boatos e mitos de Palma. Outra explicação, além da vingança, seria o gosto pela batalha, além da ligação com o movimento contra Lassic.
  4. Qualquer decisão que Odin tomasse não teria contestação de parte alguma, sendo apoiado por todos os simpatizantes ao movimento.

Muito bem, explicados os itens, agora vamos à história de Odin.

Nascido em Scion, Odin era filho único de um guerreiro cuja mulher morreu de parto (ele provavelmente se chamava Roth, anagrama para Thor). Amigo de todos na cidade, principalmente com seu companheiro da loja de armas (o qual ele dava muito lucro, hehehe…), que lhe presenteia com um gato quase dourado com duas caudas, possuidor de poderes curativos. Ele o batiza de Myau.

Tudo corre normalmente na vida de Odin, até aquela maldita manhã: seu pai sai com o grupo de caça, em busca dos tesouros de criaturas marinhas. Planejavam-se dois dias para a caçada… acabaram sendo três semanas, sem volta. Todos na cidade confiavam muito nas habilidades do pai de Odin para proteção do lugar, e começaram a se preocupar. Odin é enviado com uma equipe de busca, na tentativa de resgatá-los, mas só acha a cabeça do pai, enterrada a alguns metros perto da maré…

_ Odin, meu filho - diz seu pai, com o rosto coberto de sangue - , não se iluda quanto as criaturas que vivem nesse mundo. Nunca é tarde demais para vingar-me, portanto não tenha pressa. Eu serei sua alma…

_ Meu pai, você não pode morrer, o povo de Scion precisa de você, de sua proteção! Vou tirá-lo daqui agora…

_ Não! Este é meu momento, eu sei. Você não deve se levar pelas aparências, só porque estou falando com você não significa que viverei. Nunca deixe de acreditar em si mesmo, nunca perca a confiança, você pode fazer tudo que quer, até mais do que eu mesmo.

_ Mas meu pai, eu ainda preciso aprender muito…

_ Você já aprendeu tudo comigo, agora precisa praticar - ele tosse uma bola de sangue e começa a se engasgar - me deixe aqui, é a minha hora! Escute, há um calabouço ao sul daqui, e uma criatura terrível guarda com ela a arma mais poderosa do universo. Com ela, você ajudará Nero e a Rebelião a combater o mal que Lassic tem nos feito. Nunca se esqueça que serei sempr… sempre a… a… sua al… alm… alma…

Odin e seus companheiros de resgate levam o corpo de seu pai e o queimam em Scion. Suas cinzas são guardadas dentro de uma urna, e mantidas com Odin. MAS ELE FICARIA ATORMENTADO, PELO RESTO DE SUA VIDA, COM HONRAS DE GUERREIRO, POR NÃO VINGAR A MORTE DO PAI!!!! Contra seus princípios de treinamento, Odin embarca em uma busca inusitada, através de planícies e florestas infestadas de criaturas mal intencionadas, em direção ao calabouço da Medusa.

_ É escuro aqui, Myau. Qualquer ruído, fique alerta, não podemos nos exaurir antes de chegar a Medusa. E lembre-se: nunca olhe diretamente nos olhos dela!.

_ Eu já tinha ouvido falar da Medusa, os visitantes da loja de armas sempre comentavam que de cada dez guerreiros a enfrentá-la, apenas um voltava, e muito ferido, quase morrendo…

_ Isso significa que devemos tomar um cuidado maior ainda, o escudo e as armaduras são feitas de Zirconian, acho que vai ser bem resistente as pancadas. Tome, fique com o vidro de Alsulyn, assim se algo acontecer comigo, você me salva. Pena que não achei um machado melhor…

_ Mas Odin, eu não sei abrir a…

_ Aqui! Deve estar atrás desta porta, vamos ver e… AAARG!!!!!!

Odin se depara com um corredor de estátuas, todas com semblantes pavorosos, de medo e terror. Quando menos se espera, algo começa a se mover na escuridão. Um corpo semi-nu de mulher aparece das trevas, e exibe na face a aparência maligna.

_ É ela, Myau! É Medusa! Rápido, Myau, prepare para me aju…

Um brilho ofuscante sai da face obscura de Medusa. Um brilho vermelho, tentador, hipnótico demais para qualquer mortal. Odin fica fascinado pelo olhar de Medusa, sem nenhum poder de reação. E acaba sendo transformado em pedra. Com a situação caótica, Myau corre e se livra do olhar maldito. Ao sair do calabouço, Myau, confuso pelo que acaba de presenciar, se perde na floresta. A poucos passos, Myau tenta achar um caminho de volta a Scion, onde poderia buscar ajuda, mas encontra um grupo de jovens caminhando com lanternas no meio da mata densa.

_ Hei, Joh! Olha o que achei aqui! Um daqueles gatos que acompanham os guerreiros! Podemos vendê-lo a um bom preço para os mercenários de Motávia!

Antes que pudesse ter algum tipo de reação, Myau é encurralado e enjaulado. Dali a poucos dias, estaria sendo vendido em Motávia.

Medusa agora não tinha mais a certeza de estar segura dentro de sua toca no calabouço, e atravessa o mar em busca de uma torre abandonada, no sul da cidade de Gothic…


Sei que a história de Odin ficou com uma cara de FanFiction, mas acho que deve-se levar em consideração que é só uma teoria. Qualquer outra coisa é muito improvável…

Por: DARK FALZ
Escrita em: 15/11/02
(o mal nunca morre, somente repousa para o próximo ataque…)

fanworks/teorias/teoria_brasileira_003.txt · Última modificação: 2009/01/13 11:58 (edição externa)

Ferramentas da página