A GAZETA DE ALGOL

"O morto do necrotério Guaron ressuscitou! Que medo!"

Ferramentas do usuário

Ferramentas do site


jogos:psg1:diferencas

Diferenças entre PSG1 e o PS1 original

Autor: Filipe Engleth Andrade

Aos que estão curiosos para saber as principais diferenças entre o PS1 original e este remake para o Playstation 2, vai o aviso: há vários spoilers (surpresas que talvez você não queira saber através de leitura de um review) sobre o conteúdo do remake, então caso não queira saber, não veja!

  • Além dos gráficos, que foram obviamente melhorados, os personagens também foram redesenhados. Particularmente, gostei muito dos novos visuais de todos eles. A Alis está mais bonita, o Myau perdeu aquele “atributo” que fez com que alguns pensassem que ele fosse fêmea, o Noah/Lutz ficou muito legal e o Odin deixou de parecer com o Arnold Schwarzenegger. :)
  • As músicas também foram melhoradas. A princípio, podem parecer que estão todas em tom diferente das músicas originais, mas na verdade estão no mesmo tom do jogo original japonês (que continha um chip FM que melhorava o som dos jogos).
  • A maioria das cenas importantes do jogo agora contam com ilustrações em anime, dando mais vivacidade a história.
  • O sistema de batalhas foi amplamente melhorado. Agora você pode visualizar os personagens em combate o tempo inteiro, assim como ver suas animações atacando os inimigos. Agora também há variedade de inimigos durante as lutas, ao invés de apenas um tipo de inimigo, como ocorria no original. No entanto, não é mais possível ver o HP dos inimigos.
  • O jogo contém uma novidade: os cristais. Estes itens podem ser combinados (cada personagem pode equipar até 2 cristais diferentes) com diferentes resultados, dependendo da arma equipada em cada um. A variedade de novas magias possíveis através deles é grande e bastante interessante. Agora até o Odin pode usar magias! No entanto, os cristais costumam quebrar com facilidade e você só poderá usá-los uma ou duas vezes, então o recomendável é que sejam guardados para enfrentar os chefes.
  • Falando novamente em cristais, existe uma combinação específica que causa uma magia chamada Thunderstorm (サンダーストーム), que pode causa paralisia em qualquer inimigo. Os cristais em geral são caros, mas essa magia em especial torna algumas batalhas como, por exemplo, a última contra Dark Force, uma verdadeira piada de tão fáceis que ficam.
  • Existem novos monstros nas batalhas.
  • Existe agora um novo item chamado Atlas, que mapeia seus passos nos labirintos por até 100 passos. É uma ajuda e tanto! Agora, pra quem não gosta de ficar vendo detonados pra zerar, pode comprar alguns vários desses e ficar usando, ao invés de desenhar os mapas num papel, como na antiga versão (mas tanto na antiga versão como no remake, fazer seus mapas é provavelmente uma das atitudes mais inteligentes possíveis).
  • Há muitos novos diálogos! Acredito que este seja um dos maiores pontos fortes do jogo. Não só todo mundo fala mais, como nossos personagens também respondem! Agora não são só eles que falam com você, mas também falamos com eles! O enredo foi amplamente aumentado e melhorado, dando muito mais coesão à história e explicando os fatos com muito mais clareza.
  • Neste remake há a função de diálogo entre os personagens, como em Phantasy Star IV, para Mega Drive. Você pode usá-la e os personagens vão conversar entre si e lembrar qual é o próximo passo. Isso é muito interessante, pois esses diálogos mudam com freqüência e os personagens sempre conversam entre si, o que revela bastante de suas personalidades, coisa que quase não podíamos ver ou saber na versão antiga.
  • Alguns itens estão guardados em locais diferentes nos labirintos, como o baú com mesetas em Camineet e a Chave Milagrosa em Baya Malay.
  • Os lagos de lava (que agora parecem mais um chão com rachaduras de lava) agora devem ser atravessados usando o Land Rover, não o Hovercraft.
  • Há uma certa perda de liberdade quanto às ações tomadas no decorrer do jogo. Eventos que no original eram apenas opcionais se tornaram obrigatórios, e outros eventos devem ser cumpridos em ordem específica.
  • Lembra da Lâmpada Mágica, que ilumina os labirintos sem você ficar precisando comprar lanternas novas? O preço dela subiu absurdamente.
  • Algumas músicas agora contêm não só versões “normais”, como outras mais lentas ou misteriosas, dependendo dos labirintos. Além disso, a passagem que leva para a casa do governador teve sua música modificada. A música tocada nesta passagem no original ficou com a melodia um pouco diferente e só toca em momentos específicos, como antes de alguns chefes ou no labirinto final. Nos vilões mais importantes (como a Medusa, o Dr. Mad e etc.), a música que toca é a mesma da batalha comum, mas em uma versão um pouco mais sinistra.
  • Quando se vai ao castelo de Lassic de Baya Malay, não temos mais aquela animação do castelo aparecendo nos céus. A imagem já mostra os céus de Palma com o castelo lá. O mesmo vale para a cena em que pegamos a Noz de Laerma. Alis vai até a árvore, e o item simplesmente é conseguido, não há mais aquele desenho de uma árvore congelada (apesar da árvore ser destacada na área e ser diferente das demais).
  • Existem agora quatro dragões lendários em Phantasy Star! Eles guardam importantes itens, como a Espada de Lacônia, o Aero-Prisma (que antes era guardado por um Titan), entre outros. Não há mais dragões para se lutar no meio dos campos ou labirintos, apenas esses quatro dragões, em pontos específicos.
  • Algumas coisas absurdas da versão do Master System foram corrigidas. Dizia-se no jogo anterior que Lassic teme as armas de Lacônia, e que elas são as armas que deveriam ser usadas contra ele. No entanto, Lassic se esquivava muito bem de todas elas! No remake isso não acontece mais. Lassic é bem forte e resistente a todos os tipos de magia! O que você deve usar pra atacá-lo são, de fato, as armas de Lacônia! O mesmo vale para Odin, onde era mais útil usar uma Pistola Laser do que o próprio Machado de Lacônia (que teoricamente era a arma mais forte do jogo). Agora a arma que ele realmente deve usar é o Machado de Lacônia. Algumas outras coisas estranhas também foram corrigidas. Pare pra pensar: Quem é visualmente mais forte? Alis ou Odin? Obviamente, Odin, certo? No entanto, na versão do Master System, Alis possuía mais HP e a maior defesa entre todos os personagens do jogo (o que sempre achei muito estranho). Já no remake, Odin é mais forte em todos os aspectos.
  • Não só as personalidades dos personagens principais são muito bem exploradas, mas as dos coadjuvantes também! Aquele velhinho na vila de Eppi agora chama-se Hashim, é amigo do governador de Motávia e também amigo de Odin. Lembra daquele cara que aparece na passagem que leva para Gothic, o assistente super mal-educado do Dr. Luveno? Tudo o que ele falava no original era “Estou ocupado, não me atrapalhe”. Extremamente grosso. No remake, ele é um cara super legal e educado, e diz que está ocupado pensando num jeito de tirar Dr. Luveno da prisão. Depois de resgatar o Dr. Luveno, o assistente (que agora se chama Nazo), fica constantemente pensando qual será a próxima coisa que irá inventar. O mesmo acontece com o dezoriano que lhe entrega a Tocha Eclipse, que agora te dá um motivo pra querer o Olho do Dragão de Casba, ao invés de parecer um traíra mercenário que trocava a tocha por uma jóia :)
  • O jogo ganhou uma cidade motaviana! Sopia, que antes era uma cidade de poucos habitantes palmanos, agora é uma cidade de motavianos.
  • Há vários diálogos engraçados no jogo. Quem entende do idioma vai notar o quanto Myau é super fã de bolos e brincalhão, e que existem garotas no jogo gamadonas em Odin e Lutz! :)
  • Ao final do jogo, o jogador pode escolher se quer que Alis torne-se ou não a sucessora do trono de Algol. No entanto, se você escolher não, o jogo não mostra o final normalmente. O jogo continua seguindo, sem objetivo. Se você usar a função de diálogo nesse trecho, Alis diz que está tudo bem mesmo ela não sendo rainha e Myau diz: “Mas está bem mesmo?”. O final só acontece de fato quando você volta ao governador e responde que sim. Isso prova que, de fato, Alis se tornou a rainha (o que não ficava oficialmente confirmado na versão anterior, já que era possível escolher)! Afinal, esse remake não é um fangame, e sim um lançamento oficial da SEGA, e só a SEGA pode falar o que é Phantasy Star de verdade ou não. :)
  • Particularmente, achei o último dos quatro dragões lendários muito mais difícil de se derrotar do que o próprio Lassic ou o Dark Force. Estranho…
  • Notei na internet reviews de pessoas reclamando que mudaram o jogo demais. Na minha opinião, as mudanças são todas bem-vindas. Sejamos realistas, pessoal! Teve gente que reclamou até que os diálogos agora são mostrados em caixas de texto ao invés de um desenho grande da pessoa na sua frente, como acontecia no Master! Realmente pensaram que seria assim?
  • Existem agora itens recuperadores de TP! Não podem ser comprados em loja, mas podem ser encontrados aos montes durante o jogo. O castelo de Lassic está cheio deles! E além disso também existem trimates.
  • Não existem mais igrejas. Se alguém morrer, você ressuscita no hospital.
  • Lembra da Suelo, moradora de Camineet que sempre te curava de graça? Agora ela é mercenária e cobra pelo serviço! Ela trabalha no hospital de Camineet, que não existia no original.
  • Alguns eventos só são destravados se você conversar com pessoas. E conversar bastante, com várias delas, por sinal. Isso às vezes é um pouco chato, mas torna a história muito mais coesa. Na versão do Master, Alis podia ir a Scion comprar aquele passe sem nunca ninguém ter falado nada pra ela sobre o cara vender passes! Aqui não, você precisa conversar com pessoas até descobrir esse tipo de informação. Dizem que talvez essa tenha sido a forma da SEGA dizer: “Ei, não vá com tanta pressa! Olhe todos os novos diálogos que introduzimos no jogo!”. :)
  • Se você também achava estranho que todas as portas trancadas do jogo abriam com a mesma chave no original, agora vai suar. Todas as cavernas abrem com chaves diferentes, e pra consegui-las você deve conversar com pessoas e fazer umas coisinhas.
  • Alguns chefes estão com o visual meio modificado. Lassic e Dark Force ficaram muito legais! A Medusa está toda sexy e aquele Skeleton da caverna de Naula ganhou um visual especial, diferente dos outros Skeletons. :)
  • Falando em Medusa, o Escudo Espelho (chamado aqui de Escudo de Perseus) que Odin tinha que pegar para derrotá-la, não protege mais o grupo inteiro (só eu achava isso muito estranho?), só protege o Odin! Ela ainda pode petrificar os outros personagens, mas isso pode ser revertido com certas magias de cura.
  • O mestre de Noah/Lutz agora tem cara de mestre mesmo, e é difícil de ser derrotado. Não parece mais um pigmeu como no original. :)
  • Palmanos, Motavianos e Dezorianos não falam mais a mesma língua! Para poder entendê-los você precisa de itens especiais, chamados de Anel Motaviano e Anel Dezoriano.
  • Não é mais possível derrotar Dr. Mad com o Myau em seu grupo. Myau é automaticamente seduzido por algo que o Dr. Mad carrega e você precisa vencê-lo sem ele. Da mesma forma, as lojas em Abion ficam todas fechadas até que você derrote o Dr. Mad.
  • Falando em Dr. Mad, ele não reaparece naquela caverna antes de Baya Malay (alguma idéia de como ele ressuscitou e foi parar lá, no original?)
  • Aquele robô que parecia apenas um Dr. Mad de outra cor que você precisava derrotar antes de Lassic não existe mais, agora é o tal dragão.
  • O jogo contém novas passagens secretas com novos itens! As passagens de Dezóris estão cheias delas!
  • Se a Medusa mora na Torre da Medusa, não é muito estranho que Odin estivesse petrificado na caverna abaixo de Parolit? No remake, existe uma passagem secreta que conecta a Torre da Medusa com essa caverna! Ah, agora sim eu entendi. :)
  • Aquele dragão que deve ser derrotado entre Baya Malay e o Castelo Flutuante não está mais no meio do caminho, como no original. Você pode chegar ao Castelo Flutuante, salvar o jogo e derrotar o dragão depois.
  • O jogo pode ser salvo a qualquer momento, como no original, mas é uma espécie de salvamento provisório de emergência! Se você morrer depois, perde o save. Os saves propriamente ditos são feitos em pontos específicos das cidades.
  • Existem alguns dezorianos gente boa no remake, mas no geral eles continuam aquele bando de chatos e insuportáveis que sempre foram. :)
  • Pra quem já leu a entrevista com Rieko Kodama sobre o Phantasy Star original, sabe aquela parte em que ela comentava sobre não haver espaço suficiente no cartucho para a animação completa do vômito dos zumbis? Que a boca deles caía e volta “como um ioiô”? Agora eles vomitam em você de verdade, e você ainda tem 50% de chance de ser envenenado com esse golpe. :)
  • Falando em veneno, diferente da maioria dos RPGs, ele só dura durante a batalha. Depois da batalha vencida, o veneno some.
  • Aquela loja onde se consegue uma máscara de gás em Drasgow, vende uma espécie de kit de máscaras pra quatro usuários, fazendo com que a bizarrice de que apenas uma máscara servisse para todos os personagens no original não exista mais.
  • A magia “Voa” de Alis agora não te leva mais para a última igreja visitada (uma vez que não existem mais igrejas). Ao contrário, você pode escolher pra qual cidade quer se teletransportar! No entanto, não é mais possível se teletransportar de um planeta para outro.
  • Noah/Lutz não aprende mais a magia de abrir portas trancadas por magia sozinho. Ele só aprende no final do jogo, após conversar com algumas pessoas. Na verdade, ele se “lembra” da magia.
  • A confeitaria onde se compra o bolo para o Governador de Motávia agora tem cara de confeitaria e o dono dá uma explicação mais satisfatória pra localização da loja. :)
  • O jogo cita vários fatos que só foram revelados aos jogadores no livro Phantasy Star Compendium! Alis, por exemplo, quando encontra Odin, já sabe há tempos que ela e Nero não são irmãos de sangue. Isso só era mencionado no livro. No entanto, não sabe sobre seus ascendentes. Ela descobre que é filha do antigo rei pela boca do Lassic, e não do Governador! Quando o Governador vai contar pra ela, ela já sabe e se demonstra meio abalada com a recente notícia, e ele fica surpreso por ela já saber.
  • Myau vai insistir milhões de vezes durante o jogo que ele não é um gato qualquer! :)
  • No jogo anterior, não se sabe o que aconteceu com Odin, Myau e Noah/Lutz depois que Alis se tornou a rainha. O remake esclarece que Myau e Odin foram ajudá-las no cargo (inclusive Odin fica com uma roupa chique de quem trabalha pra uma rainha) e que Lutz resolveu não ficar porque gostaria de juntar outros éspers como ele para proteger Algol (tal como percebemos em Phantasy Star 2 que ele conseguiu).
  • Havia momentos no jogo original em que, caso você fizesse uma certa sequências de besteiras, era possível ficar preso no jogo sem poder prosseguir. No remake todos esses problemas foram corrigidos, uma vez que agora Alis pode escolher para onde se teletransportar, etc.
  • Aquelas esteiras entre Camineet e Parolit até o espaçoporto não aparecem rolando sozinhas enquanto se explora Palma, mas… e daí? A água do mar se mexendo ficou bem mais bonita, pelo menos. :)
  • Agora é possível acessar seus veículos com o toque de um botão, ao invés de ter o trabalho de abrir o menu.
  • Nas lojas, podemos ver quem pode equipar o item que será comprado e em quantos pontos ele aumenta ou diminui os atributos do personagem a quem será dado. Isso poupa bastante tempo e é muito conveniente.
  • Os preços dos itens do jogo estão relativamente muito mais caros do que no original. Em compensação, a quantidade de mesetas recebidas dos inimigos derrotados também é consideravelmente maior.
  • O nível máximo dos personagens não é mais 30, é 99. Os personagens começam a ficar com uma quantidade absurda de HP no nível 50 em diante. (Odin chega a ter uns 700HP nos maiores níveis!)
  • Você achava Dezóris um planeta difícil? Agora ele é muito mais difícil! Os inimigos são muito mais fortes que os dos outros planetas e sempre aparecem em grupos grandes. Mas colocaram um efeito de neve caindo bem legal. :)
  • Alis, Myau e Lutz possuem maior variedade de magias. Odin continua sem magias, mas é disparado o personagem mais forte do jogo.
  • O vendedor para quem você dá o Pote de Lacônia em troca do Myau, mais tarde é capturado por Dr. Mad e preso. Você pode salvá-lo e ele promete não se meter mais nesse tipo de negócio. Isso explica muita coisa…
  • Existe uma família de 10 irmãos perdidos por Algol. Você pode ir conversando com eles e dando notícias sobre os outros irmãos e com isso ganhar mesetas como recompensa. Mas estranhamente, nunca consegui encontrar todos esses irmãos. Será que todos eles estão mesmo presentes?
  • O jogo faz um som muito estranho quando se entra em casas. O som funciona bem quando se abre portas de labirintos, mas nas casas fica bem estranho.
  • O jogo explica que Dr. Luveno estava preso inocentemente.
  • Hapsby, o robô que pilota a nave que Dr. Luveno e Nazo constroem, dialoga com os personagens em alguns momentos do jogo, e não apenas quando você vai usar a nave.
  • É possível comprar em Paseo um item chamado Soundtrack, que permite escutar a trilha sonora do jogo. Mas isso só pode ser feito após terminar o jogo uma vez.
  • Há alguns novos itens que desconheço a utilidade, como por exemplo, uma espécie de livro que é entregue para Alis por um dos cidadãos de Parolit.
  • Os personagens agora possuem movimentação livre (ao invés de se movimentar de quadradinho em quadradinho, como nos jogos anteriores). Você também pode fazer os personagens se movimentarem ridiculamente rápido segurando o botão X.
  • Ao contrário do que acontecia no original, neste remake os itens pertencem a personagens específicos. Se o Myau precisar de um trimate e só a Alis tiver um, ele não pode usar, só ela que pode usar nele.
  • Na prisão antes de Baya Malay, caso você fique curioso pra saber como é ir preso, no original encontramos um velhinho, atrás de uma porta TRANCADA, que dá uma dica sobre existir uma passagem secreta, mas na verdade ele prefere ficar por lá! 8-O Hein? Como assim? No remake esse sujeito diz que está procurando há semanas por uma passagem secreta (que pode ser facilmente encontrada). Ufa, menos mal… Será que só eu tinha uns 10 anos quando joguei o Phantasy Star original da primeira vez e morria de medo desse tipo de bizarrice que falavam no jogo?
  • Diferente do que acontecia no original, no remake não é possível conversar com os monstros e as magias para falar com monstros específicos também não existem mais.
  • Em alguns labirintos, era possível encontrar pessoas atrás de portas trancadas, que geralmente davam informações ou só serviam pra dar medo dizendo coisas como: “Você logo descobrirá a verdade!” ou “Fuja antes que seja tarde!”. No remake essas pessoas não aparecem mais. As portas estão ali, mas não há ninguém atrás delas.
  • Bom, isso é tudo o que eu consegui me lembrar. :)
jogos/psg1/diferencas.txt · Última modificação: 2012/07/24 08:20 por filipeeng