A GAZETA DE ALGOL

"O morto do necrotério Guaron ressuscitou! Que medo!"

Ferramentas do usuário

Ferramentas do site


fanworks:teorias:teoria_mike_010

A data de Phantasy Star Online

Autor: Mike Ripplinger
Tradutor: Orakio Rob

Um dos primeiros debates que surgiram entre os estudantes de Algol a respeito de Phantasy Star Online foi um debate sobre a data do jogo. Parece que ficamos mal acostumados com Phantasy Star IV, que expôs sua data em alto e bom som logo no começo do jogo. No entanto, ainda que a data de Phantasy Star Online não esteja tão clara, eu ainda acho que ela se torna bastante aparente assim que alguns fatos cruciais são examinados.

Primeiro, um aviso: desenvolver teorias sobre Phantasy Star Online é como patinar em gelo fino. Como a série ainda está em desenvolvimento pela Sega – espero que muitas sequências surjam! – partes, a maioria ou toda essa teoria pode ser completamente invalidada por futuros jogos. Estou simplesmente baseando essa e todas as minhas teorias sobre Phantasy Star Online em todas as informações disponíveis até o momento

Parte I: Quando Phantasy Star Online NÃO se passa

Antes de compartilhar aquela que eu acredito ser a data de Phantasy Star Online, gostaria de examinar outras teorias sobre a data de PSO que surgiram desde o lançamento do jogo. Uma das primeiras – e certamente, uma das mais interessantes – dessas teorias foi a de que os tripulantes da Pioneer não são de Algol, mas sim da Terra! Essa teoria sugere que Pioneer 2 era uma nave terrestre, e PSO mostraria a primeira tentativa dos terrestres de colonizarem um novo mundo. Após o desastre que Ragol mostrou ser, Pioneer 2 parte em busca de um planeta diferente, mas dessa vez eles tem um passageiro extra: Dark Force. Isso explica como Dark Force chegou a bordo da espaçonave Noah em Phantasy Star II, e nos dá um pano de fundo sobre a historia dos vilões mais surpreendentes de Phantasy Star.

Mas eu tive alguns problemas com essa teoria desde o início. Primeiro, os humanos de PSO usam técnicas, e os humanos da vida-real não usam. Pode-se ignorar isso já que Phantasy Star é baseado em fantasia e não baseado na realidade, mas o fator chave que derruba a teoria dos “terráqueos pioneiros” para mim consiste em uma única palavra: meseta.

Meseta é uma constante em todos os jogos Phantasy Star. Nomes de planetas e técnicas podem mudar – ora, magias podem se tornar técnicas que podem se tornar habilidades – mas meseta é sempre meseta. E ela sempre foi uma moeda algoliana. Poderia-se argumentar que Meseta teria sido uma moeda terrestre, mas isso significaria que os terráqueos tiveram tamanha influência sobre a cultura algoliana da era pré-Phantasy Star I que mesmo naqueles tempos antigos, eles conseguiram introduzir sua própria moeda em Algol. Não, eu acho que a meseta descarta a possibilidade dos pioneiros serem terráqueos (mas esse é so meu palpite).

Outra teoria que surgiu foi a de que os pioneiros na verdade vieram de Alisa III. Algum tempo após PSIII, sugeriram os que apoiaram essa teoria, os Alisianos se cansaram de viver em uma nave e iniciaram o projeto pioneiro. Eles encontraram Ragol, construíram as naves pioneiras, e emigraram para lá.

Alem da óbvia pergunta “de que diabo de lugar os Alisianos tiraram os materiais necessários para criar duas espaçonaves do tamanho das Pioneiras 1 e 2 - não existem muitos recursos naturais em uma espaçonave, sabia? – essa teoria pode ser descartada por diálogos do jogo. O Dirigente Tyrell diz, “Não podemos voltar para nosso planeta.” Os cientistas dizem, “Nosso planesta estava caindo aos pedaços, não podiamos impedir. Então começamos a procurar um novo planeta, e encontramos Ragol usando unidades de busca não-tripuladas” e “Eu fui contra a imigração! Se um planeta morre, seu povo tem que morrer com ele. Você não acha?”

Parte II: A Linha de Tempo de Phantasy Star Online

Com essas duas possibilidades descartadas, sobra apenas o que já era óbvio para mim desde o começo: Os pioneiros são de Algol – do Algol pós-PSIV, para ser preciso.

Uma outra teoria que surgiu logo no início era a de que os pioneiros eram de uma época pós-PSII/pre-PSIV, quando Motávia estava “caindo aos pedaços” revertendo à forma desertica que imperava antes de Cérebro-Mãe. Acho isso impraticável, no entanto, porque o povo de Motávia pós-PSII (ou talvez mais corretamente, Motávia pós-Grande Colapso) tinha que lutar para sobreviver. Não havia como eles terem tido recursos para lançarem sondas não tripuladas ao espaço ou construído naves-colônia interestelares.

Três pontos especificamente sugerem um tempo posterior a PSIV. O primeiro é a presença de numanos a bordo da Pioneer 2, não tão raros exemplos individuais do poder da bio-tecnologia como Nei ou Rika, mas uma raça inteira deles. Em nenhum outro momento da linha temporal de Phantasy Star os numanos foram uma espécie tão difundida quanto em PSO. Já que PSIV terminou com os numanos tendo um começo como uma nova espécie com Rika adentrando a sociedade Algoliana, a viabilidade da raça numana em PSO é o próximo passo lógico.

Segundo, a presença de Mags sugere fortemente um tempo pós-PSIV. Examine como Dacci descreve os Mags em “Magnitude of Metal (A Magnitude do Metal):” “Mags não são apenas protetores inventados por um cientista. Mas nós recebemos um quando nos tornamos hunters. É um tipo de tradição. Mags são um equipamento essencial para os hunters, correto?” Mags não são apenas uma nova mania que vai sumir de repente, como deveria acontecer se PSO se passasse após PSII e antes de PSIV. Mags são um equipamento “tradicional” dos hunters, e já estão por aí a tanto tempo que são considerados essenciais. Mais uma vez, isso indica que PSO se passa muitos, muitos anos após PSIV. (E não sei quanto a vocês, mas para mim os mags definitivamente tem um dedo de Wren e Demi. Dez pra um como eles foram os criadores dos Mags.)

Finalmente, ainda que nao muito óbvio a princípio, os três monumentos que lacram as ruínas são provavelmente o maior indício de que PSO se passa após PSIV. As ruínas estão lacradas com as palavras “MUTT DITTS POUMN” e cada monumento tem uma cor diferente: um verde, um vermelho, um azul. Qualquer um que tenha jogado os Phantasy Star anteriores a PSO vai imediatamente reconhecer a referência do selo a Algol e seus três planetas – Palma, Motávia e Dezóris – que formavam um gigantesco lacre para a prisão dimensional da Treva Profunda por séculos. Quem quer que tenha construído os monumentos que selam as ruínas obviamente se baseou no lacre Algoliano, e como a verdade sobre Algol ser o cadeado de uma prisão dimensional ser desconhecido até para Lutz até Phantasy Star IV, certamente sugere que as ruínas foram lacradas após PSIV, logo, PSO se passa após PSIV, também.

Já ouvi muitos phanáticos reclamarem desde o lançamento de PSO que eles gostam do jogo, mas que esperam que o próximo Phantasy Star retorne a Algol. Pessoalmente? Não me importo que Phantasy Star Online se passe em outro lugar que não Algol. Na verdade, eu prefiro assim. De 1996 a 1999, até Phantasy Star Online ser anunciado, eu fui dos maiores apoiadores de que um novo Phantasy Star deveria começar uma história completamente nova. Meu maior medo era termos um novo Phantasy Star cuja base seria, “Adivinhem só? A Treva Profunda não está realmente morta!” Para mim, Phantasy Star Online traz o melhor dos dois mundos: ele continua a história de Phantasy Star e tambem a preserva.

Parte III: A data exata de Phantasy Star Online

Já que estabelecemos que Phantasy Star Online se passa após PSIV, podemos chegar a uma data mais exata? Afinal, nós sabemos que PSIV se passa em AW 2284, e que PSI se passa no Século Espacial 342. Não podemos dar uma data para Phantasy Star Online no calendário Algoliano?

Sim, nós podemos, mas não teremos tanta certeza dela quanto temos de que Phantasy Star Online se passa após PSIV. Vá ao Sound Test e você vai descobrir que a música que toca quando voce está na guilda dos Hunters se chama “Crossing 3084.” A data AW 3084 seria exatamente 800 anos após Phantasy Star IV, e isso parece se encaixar em tudo que já sabemos sobre a data.

Exceto porque pode ser mais preciso citarmos a data de PSO como AUW 3084. Apesar de PSII e PSIV usarem a contagem AW, a quest “Seek my Master (Procure meu Mestre)” lista diversas datas, todas como AUW. Não acredito que isso signifique PSO use um calendário diferente dos outros jogos, no entanto, AW e AUW são certamente similares o suficiente para serem considerados a mesma coisa, assim como Palma/Palm/Parma, etc.

Mas por falar em “Procure meu Mestre,” a história desta quest dá mais apoio à idéia de que AUW 3084 é a data de Phantasy Star Online. O Tekker nessa quest conta a história de três ferreiros cujas famílias foram executadas por um rei. Como vingança, os três ferreiros e um de seus pupilos forjaram cada um uma espada “que dizem ter poder para destruir um planeta.”

EspadaFerreiroForjada em
Sange Jou'un AUW 1963
Orotiagito Dousetsu AUW 1975
Kamui Tengai AUW 1977
Yasha Kikoku AUW 2018

Estas datas indicam que as espadas foram forjadas nos anos entre Phantasy Star II e Phantasy Star IV – uma época sem tecnologia que certamente se encaixa com a história de suas origens. Mais adiante, a história e as datas continuam reforçando o AW 3084 como a data de Phantasy Star Online. Na época de Phantasy Star IV, a mais velha das espadas, Sange, já teria 321 anos. Naquela época ela já seria um artefato histórico, mas em AW 3084, mesmo a mais jovem das espadas já teria mais de 1000 anos, e as mesmas já seriam classificadas como “espadas lendárias.”

Parte IV: Então onde estão os Motavianos e Dezorianos?

O maior problema se opondo a teoria “Pso se passa após PSIV” parece ser, “Onde estão os motavianos e dezorianos?” O fato de que alguns consideraram esse como o fator principal para não seguir minha teoria pós-PSIV faz com que essa pergunte soe ainda mais pífia para mim.

Por mim, essa é moleza. Apesar do que a abertura diz, não era Algol como um todo que estava encarando uma “iminente destruição” mas simplesmente o mundo habitado pelos Palmianos: Motávia. (É verdade, o texto de abertura é esse, “O 'Projeto Pioneiro' – um plano nascido do desespero, concebido em resposta à iminente destruição de seus mundos” mas olhe nos diálogos do cientista e do dirigente Tyrell no fim da Parte I desta teoria e você verá que eles fazem múltiplas referências a um único mundo, o que deixa claro que o “mundos” da abertura certamente é um erro de digitação.)

A abertura até nos mostra um mundo mudando de verde para marrom – uma representação simbólica da reversão de Motávia a seu natural estado desértico após o grande colapso. É o próximo passo lógico de PSIV – em PSIV Motávia era meio-areia meio-verde. Eventualmente, sem Cérebro-Mãe, é natural que ele tenha revertido a um completo deserto.

Se esse é o caso, por quê os Motavianos iriam querer partir? Eles são nativos do deserto de Motávia. Pela mesma linha, se Dezórias ainda é o mesmo cubo de gelo que sempre foi, por quê os dezorianos iriam quere emigrar – especialmente para um mundo belo, verde e quente como Ragol?

Tanto quanto outros phanáticos, eu adoraria ver Motavianos e Dezorianos fazerem uma aparição em um futuro título PSO. Mas sua ausência de forma alguma elimina a possibilidade dos pioneiros serem Palmianos do pós-PSIV. De fato, suas ausências são ainda outro indicativo de que a história de PSO é a dos Palmianos em busca de um novo mundo coberto de verde.

fanworks/teorias/teoria_mike_010.txt · Última modificação: 2009/01/13 11:58 (edição externa)

Ferramentas da página