A GAZETA DE ALGOL

"O morto do necrotério Guaron ressuscitou! Que medo!"

Ferramentas do usuário

Ferramentas do site


diversos:conversas_na_elsydeon:conversas_na_elsydeon_rolf

Conversas na Elsydeon

Autor: Rolf Bogard

“Só deixei a Nei vir comigo porque assim ela parava de arranhar os móveis”, Rolf a respeito do comportamento felino de Nei.


“Nunca entendi aquele cara. Parecia que ele amava mais o professor do que a noiva pra gastar o dinheiro do casamento com a gente”, Alys, sobre Hahn.


“Fiquei surpresa quando ele escolheu Maia. Eu que o ajudei a fugir da prisão, o vigiava das sombras, o ajudei a derrotar o rei de Cille e era prometida a ele, mas não, ele tinha que escolher a garota da amnésia”, Lena sobre a decisão de Rhys.


“Era horrível ter que assistir missa toda vez que a gente saber quanto faltava pra alcançar o próximo nível”, Odin, sobre a falta de praticidade da igreja.


“Só a cara dele dizia que ele precisava tomar uma surra”, novamente Odin, sobre a aparência de Dark Falz (ou Force se você preferir).


“Foi estranho porque eu convidei Alis por educação. Depois ela tomou a liberdade de trazer seu gato, o namorado e um sujeito que até hoje eu não sei se era homem ou mulher”, Suelo, sobre Alis e sua falta de educação.


“Rolf simplesmente entrou no Jet Scooter. Mas ele esqueceu que aquilo tinha sido feito com lixo. Foram semanas até que o cheiro saísse das roupas dele”, Amy, responsável pela limpeza das roupas.


“O que a Shir quis dizer com aquilo de ser mestra do próprio futuro é até hoje uma incógnita. Mas enquanto ela falava aquilo, um cara que vinha por trás dela, parou e ficou pensando. Ele olhou ao redor e repetiu o que Shir disse em voz alta. De repente os humanos começaram a chorar, pediram desculpas e nos deixaram em casa. Muito estranho”, Hugh, contando como ele e seus colegas 'derrotaram' a raça humana.


“Você tinha q estar lá quando Odin disse, 'Esqueci a chave do Landrover no topo de Baya Malay, vamos lá buscar'. Ele ainda tem as marcas dos dentes do Myau na perna”, Alis, já que Noah (ou Lutz, tanto faz) recusou pronunciar-se a respeito do ocorrido.


“Tudo que Hugh sabia dizer era, 'Vamos lutar pelo bem do meio ambiente'. Via 'Capitão Planeta' demais quando era criança”, Anna, sobre como Hugh era chato.


“Meu irmão devia ter algum problema. Combater Robôs com uma espada pequena não é coisa de gente normal”, Alis, abrindo o jogo sobre o irmão Nero


“Quando se referem a mim é só pra dizer que eu fui encontrado no meio do ferro velho. Hipócritas”, Hapsby, robô piloto da nave Luveno e que hoje está num ferro velho mais uma vez “enquanto os outros aproveitam a fama e a fortuna”.


“Alis bem que tentou, mas o gato só quis comer a noz quando estava no topo. Fez a gente perder tempo”, Odin sobre o porque de não terem dado a noz de Laerma para Myau antes de entrarem em Baya Malay.


“Até hoje eu não entendi como Dark Force entrou na história”, Rhys, que só queria salvar Maia e foi avô de (insira seu personagem da terceira geração favorito aqui), grande herói de PS3.


“Pensando bem, eu devia ter deixado Nei em casa”, Rolf (precisa explicar?)


“As pessoas ao invés de tocarem a campainha, batiam na porta. Inexplicável”, Rolf, sobre a falta de conhecimento tecnológico de seus companheiros.


“Não sei o que o Odin tinha na cabeça pra ir enfrentar a Medusa com um machadinho de podar arbustos”, Myau, comentando a primeira batalha de Odin contra a Medusa.


“Não sei o que eu tinha na cabeça pra levar um gato que não conseguia abrir a tampa de uma garrafa”, Odin, rebatendo as críticas de Myau.


“Quando ele disse que me achava 'bonitinho', eu desconfiei… difícil foi quando ele apertou minha bunda. Shir me zoa por causa disso até hoje”, Kain, sobre suas aulas com Ustvestia.


“Não tenho culpa de ele ser tão gracinha”, Ustvestia, sobre Kain.


“Mas afinal… você é ou não é humana?”, Odin para Nei, a humana que não é humana.


“Você parece maior nas fotos”, Rudo para Odin.


“E você mais bonito nelas do que pessoalmente”, Odin para Rudo. O resultado da luta não será divulgado para que nenhuma das partes tenha sua reputação arruinada.


“Eu não devia ter aceitado aparecer tanto em PS4. Agora qualquer criancinha acha que pode me dar uma surra só porque um playboyzinho louro conseguiu. E três vezes!”, Dark Force, falando sobre sua imagem estar muito desgastada.


“Isso aqui é só um problema de excesso de pêlo. Se eu fizesse a barba todo dia você ia ver que eu me pareço com o Brad Pitt”, Grys, em um momento de vaidade.


“Na verdade… eu sou cego”, Ryan, explicando porque está sempre de óculos escuros.


“I'm a Barbie girl, in a Barbie world…”, Anna cantando no banheiro.


“O nosso pior inimigo com certeza foi aquele cachorro idiota”, Rika, sobre uma das missões que recebeu da Hunter's Guild.


“A história não conta, mas a verdade é que Alis fez um bolo e entregou ao guarda do Governador. Quase fomos presos porque o Governador teve uma intoxicação estomacal”, Myau, sobre as habilidades de Alis na cozinha.


“Aquele pote? Um bilhão de mesetas!? Nãããããããããããããão!!!!”, Nekise, vendo que perdeu uma excelente oportunidade de ficar rico.


“A primeira coisa que fizemos em Dezori? Guerra de bolas de neve!”, Kain, sobre como se divertia com seus companheiros.


“Pra bem longe, mas bem longe de mim”, Wren para Kain.


“Você tem que parar com essa mania”, pai de Rhys ao vê-lo de volta da masmorra do castelo (mais uma vez) só pra resetar o jogo.


“Foi aí que eu vi que eu não tinha nenhum prestígio no reino. Andava por aí e ninguém tentava me sequestrar e ainda por cima eu tinha que pagar pela comida e hospedagem”, Rhys, sobre o desrespeito de seus súditos.


Demi: Wren, você pode me fazer um favor?

Wren PS3 e Wren PS4: Sim.

Demi: …


“Quando eu a vi senti meus setores eletrônicos sofrerem uma leve corrupção de dados. Eu poderia ser ela no futuro”, Mieu, sobre suas 'sensações' ao ver Miun.


“Depois ele veio com aquela de que Dark Falz tinha dominado o coração dele ou coisa assim. Tá bom”, Odin, sobre a desculpa esfarrapada do Governador.


“Quando ele disse 'biólogo' eu fiquei com medo. Depois ele ia querer fazer experiências com a Nei, senti que não ia dar certo”, Rolf, comentando suas primeiras impressões sobre Hugh.


“Vocês chamam 'Fogo' de 'Foi'? E eu achei que era estupidez vocês chamarem Noah de Lutz…”, Alis para Rolf.


“As pessoas tinham aquela estranha mania de ficar andando de um lado pro outro”, Rolf, sobre o passatempo das pessoas em seu tempo.


“Eu comecei a achar que estava ficando louca quando comecei a discutir sobre técnicas de lançar bumerangues com um gato”, Alys, sobre sua primeira conversa com Myau.


“Você também?”, Kyra para Alys (continuação da fala acima)


“Eu era o guerreiro, mas quem comia com as mãos e dava uma de hippie era o Noah”, Odin, sobre a etiqueta de Noah, ou Lutz.


“Eu lia as mentes de todos. Alis queria vingar-se da morte do irmão, Odin queria matar a Medusa e achava a Alis 'uma gracinha' e quanto a Myau… ele só queria uma cama pra dormir”, Noah, talvez Lutz, confessando que invadia a privacidade dos seus companheiros.


“As vezes quando o Myau tava enchendo muito o saco, eu jogava um novelo pra ele”, Odin, ensinando maneiras de manter seu gato quieto.


“Eu ficava impressionada com a falta de variedade da culinária de Algol. Burger, cola e, se você pudesse pagar, bolo”, Alis reclamando da culinária algoliana.


“Explicar aquilo pra Saya foi difícil, mas ela era muito compreensiva. Dois anos depois ela me perdoou”, Hahn, sobre as dificuldades de ter que falar, “Querida, gastei o dinheiro do nosso casamento para salvar o professor Holt”


“Fiquei com medo de levar Raja. Você sabe, ele e aquela mania de contar piadinhas sem graça poderiam irritar a 'Escuridão Profunda' ainda mais”, Chaz, explicando a não escolha de Raja para a última batalha.


“Aquele negócio de que eu tinha 'escolhido' Chaz era balela. Eu sou é um farsante, meu nome na verdade é Walter Carsh Jr..” Rune (ou Walter Carsh Jr.?), confessando que não é quem todos pensávamos ser.


“Ainda bem que a Rika nunca soube o que se passava atrás daquele bar da Hunter's Guild”, Chaz.


“Quando Rolf disse que tinha sonhado comigo, eu já estava preparada pra uma cantada”, Alis.


Cenário: Uma sala, apenas Damor e Anna (não pensem bobagens)

Damor: Olá, eu sou o grande adivinho Damor. Você acredita em minhas profecias?

Anna: …

Damor: Você está procurando algo?

Anna: …

Damor: Você está procurando Alex Ossale?

Anna: …

Damor: Aposto que sou capaz de fazer você falar. Seu nome é Ulila Brangwale, não estou certo?

Anna (pensando): 'Alguém me tira daqui pelo amor de Deus!'


Rune: Eu não estou surpreso que você nunca tenha visto isto antes. Isso se chama 'magia'

Noah (ou Lutz), em tom irônico: É mesmo?


“A gente entrava na casa, o velhinho olhava pra gente, a gente olhava pro velhinho, ele não dizia nada, a gente não dizia nada e acabávamos saindo”, Odin, sobre os velhos antes da entrada no castelo de Lassic.


“O pior foi o que disse, 'Não vá contra Lassic!'. Deu vontade de virar pro velhinho e dizer, 'Escuta aqui, a gente viajou, subimos torres, exploramos cavernas, achamos veículos, salvamos um cientista que construiu uma nave pra gente e achamos uma NOZ em Dezori, e o senhor pede pra gente não lutar contra Lassic?'. Só queria ver a reação dele”, Alis, sobre um dos velhos antes da entrada no castelo de Lassic.


“Eu queria ajudá-los com o poder da ciência e fiquei com os bolsos vazios”, Hahn.


Garota de Sopia: Olá, você gosta dos jogos da Tec Toy? Alis, Myau, Odin e Noah: … Garota de Sopia: Era só pra descontrair gente, foi mal.


“Não me pergunte. Nem imagino quem daria um Cristal importante pra'quele gagá”, Alis, sobre Damor.


“Alis ficou muito emplogada quando descobriu que podia conversar com tarântulas. E a coisa ficou pior quando começaram a trocar dicas de crochê”, Odin, explicando os reais motivos que levavam Alis a conversar com tarântulas.


Chaz: Alys, comprei um presente pra você.

Alis e Alys: Obrigada, Chaz!

As duas se olham

Alis e Alys: Ele falou comigo! Não é mesmo, Chaz?

Chaz (pensando): 'E agora?'


“Nós só queríamos instalar uma rede de Mc Donald's em Algol. Aí eles tiveram aquela reação agressiva”, Ronald, um dos terráqueos.


“E eu achava que os monstros (de PS3) eram até bem feitos”, Ryan, percebendo que seus óculos estavam escuros demais.


“Vimos um daqueles organismos e após estudos ficamos nos perguntando como depois de se alimentar com aquilo as pessoas não sofriam mutações”, Hugh, após experiências que ele e Hahn fizeram com um hamburger do Mc Donald's (juro que essa é a última piadinha com Mc Donald's).


“Aquela família só dava problemas”, Mieu, a respeito das três gerações que ela e Wren serviram.


“Burguer? O que é isso?”, Rolf para Alis, depois que ela perguntou se no mundo dele as pessoas comiam alguma coisa além de burgueres.


“As pessoas não entendem. Está tudo no contrato”, Dark (insira aqui Falz/Force/Outro), em entrevista polêmica onde revelou que só foi derrotado por causa do seu contrato com a Sega.


“A gente era meio que a atração da cidade. Os encapuzados olhavam pra gente e diziam, 'Eles caminham no gás, devem ser deuses', era muito engraçado”, Odin.


“Eu acho que aquela não era bem a 'Cola' que eles queriam, Alis”, Myau para Alis, explicando o porque de um dos habitantes de Gothic (talvez Gótica) ter jogado a garrafa de Cola nela.


“O problema é que as pessoas não entendem de pós-modernidade”, um dos monstros de PS3 (escolha qualquer um dos muitos toscos), defendendo que eles não são mal feitos, mas mal compreendidos.


“Durante a batalha toda a paisagem sumia e ficava aquele visual futurístico. Quando tudo acabava eu geralmente estava no topo de uma árvore ou coisa assim”, Anna, sobre as dificuldades de lutar em ambientes futurísticos.

diversos/conversas_na_elsydeon/conversas_na_elsydeon_rolf.txt · Última modificação: 2009/01/13 11:58 (edição externa)

Ferramentas da página