A GAZETA DE ALGOL

"O morto do necrotério Guaron ressuscitou! Que medo!"

Ferramentas do usuário

Ferramentas do site


colunas:mansao_esper:mansao_esper_001

Mansão Esper

Bem-vindos à Mansão Esper, o templo da história algoliana. Sob o teto dessa mansão, residem todo o conhecimento e sabedoria acumulados em mais de 2000 anos de batalhas contra as forças do mal em Algol.

O que nos leva a razão de eu estar aqui. Sou Rune Walsh, a quinta encarnação do poderoso feiticeiro Lutz. Se o nome nao soa familiar, talvez vocês se lembrem de sua mais famosa encarnação: Noah.

Meu objetivo com essa seção da Gazeta de Algol é o de manter acesa a chama de heróis do passado, e impedir que a lembrança de momentos significativos de nossa história seja perdida. E para inaugurar este espaço, vamos falar sobre um fato ocorrido há aproximadamente mil anos atrás, o evento de proporções catastróficas que ficou conhecido como “O grande colapso”.

Motávia

Ha dois mil anos atrás, o sistema estelar Algol era composto de três planetas: Palma, o planeta do verde; Motávia, o planeta desértico; e Dezóris, o planeta do gelo. Palma era o centro da vida em Algol, ja que o clima em dezóris era rigorosíssimo, alem de contar com uma população nativa que não gosta muito de estrangeiros, enquanto o calor de Motávia limitava o desenvolvimento da agricultura. A temperatura alcançava marcas altíssimas, e poucos palmanos se aventuravam a construir suas vidas em cidades no meio de um deserto.

O milagre motaviano

Porém, em AW 1284, mil anos após a queda de Lassic, o desértico planeta Motávia havia se tornado a maior potência agrícola de Algol, além de abrigar uma parcela considerável da populacão do sistema. Isso foi possível graças ao advento de “Mother Brain”, um super computador que controlava o clima e outros aspectos ambientais de Motávia.


Mother Brain, o super computador

Com o super computador controlando todos os aspectos de suas vidas, os motavianos se tornaram bastante dependentes da tecnologia. Na verdade, tudo correu bem por muitos anos. Foram criados lagos artificiais, plantações prosperavam por toda a superfície do planeta, que em nada lembrava seu antigo e desolador aspecto desértico.

Mas fatos estranhos começaram a surgir em Motávia, a temperatura do planeta voltou a subir, e a chuva tornou a escassear. Bizarras criaturas começaram a ser geradas nos laboratórios de bio-sistemas. Nao havia mais dúvidas: Havia algo de muito errado com Mother Brain, e coube ao agente Rolf a missão de descobrir o que era.


O agente Rolf

O fim do sonho

Enviado por seu comandante para descobrir a razão da falha nas operações do laboratório de bio-sistemas, Rolf partiu de Paseo, capital de Motávia, com sua protegida, Nei, e ao longo de sua jornada reuniu um grupo de simpatizantes: Rudo, Amy, Shir, Kain e Anna. Eles acabam por descobrir uma trama muito mais complexa do que poderiam imaginar: Mother Brain precisa ser desligado, ou toda a vida em Algol correrá perigo.

Após muitas reviravoltas, Rolf passa a atuar abertamente contra Mother Brain, que aprisiona o grupo e envia-o para o satélite artificial Gaira, que flutua nas proximidades. É então que o terror começa. Ao atingir a sala de controles, o grupo descobre que Mother Brain alterou a trajetória do satélite, e o mesmo irá chocar-se diretamente com Palma.


O painel de Gaira momentos antes da colisão

O grande colapso

Os heróis nada podem fazer, e o satélite artificial Gaira choca-se contra Palma, destruindo o planeta por completo. Rolf e seus amigos, porém, sao salvos por Tyler, um pirata espacial que os revive.

A situação é desesperadora. Palma deixa de existir para dar lugar apenas a um cinturão de destroços planetários. Alguns Palmanos tentam salvar-se, escapando em gigantescas naves. Uma grande quantidade delas abandona o planeta antes do impacto, mas o ancestral demônio de Algol, Dark Force, destrói praticamente todas as naves, de modo que apenas uma dezena, aproximadamente, consegue escapar.


Naves palmanas em fuga

Mas ainda nao era o fim da tragédia. Após a explosão, destroços de Palma são lançados pelo espaço, e posteriormente, um enorme fragmento atinge Motávia, levando à morte mais de 90% da população. A essa série de eventos convencionou-se chamar de “O grande colapso”.

A reconstrução

Após estes eventos, Rolf e companhia conseguiram desativar o Mother Brain. Mas a verdade é que, apesar de necessária, essa atitude tambem é desastrosa, já que tudo o que sobrou aos algolianos foi um planeta desértico e estéril, sem nenhum sistema que fosse capaz de controlar suas condições climáticas. O que se seguiu foram séculos de grandes dificuldades para os sobreviventes da tragédia.

Existem rumores de que o comandante de Rolf teria sido linchado pelo povo, que o teria julgado culpado pela destruição do computador que mantinha a ordem no planeta, quando na verdade o êxito de Rolf impediu que todo o sistema Algol fosse destruido. Tambem existem fortes indícios de que Rolf e seus amigos morreram gloriosamente na batalha conta Mother Brain, mas é difícil comprovar qualquer dessas teorias, visto que o caos reinou absoluto durante vários anos em Algol, destruindo registros importantes. Durante muitos anos nada foi documentado, e o que havia sido documentado foi perdido. Nesse período, surgiu uma grande lacuna na memoria de Algol. Mas dias melhores viriam, e Algol voltaria a prosperar.

Por hoje é só. Em breve, estarei de volta com mais um momento marcante da história de Algol. Até breve!

colunas/mansao_esper/mansao_esper_001.txt · Última modificação: 2009/01/13 11:58 (edição externa)

Ferramentas da página